Curió Praia Clássico

Curió Praia Clássico – Os Torneios de Canto e Fibra

Desde o Descobrimento do Brasil, manter um pássaro como companhia já era comum, tanto entre os colonizadores, que trouxeram suas aves nas viagens, tanto os nativos, que mantinham aves das mais diversas espécies consigo.

O nosso Curió, que na língua tupi-guarani significa “amigo do homem”, é apreciado a muito tempo pelo seu canto melodioso e facilidade de convívio com seu dono.

Relatos apontam que, na década de 50, os amantes dessa bela ave começaram a se reunir e disputar qual o melhor exemplar, isso na região de Ribeirão Preto, Barretos, Uberaba, Franca e arredores. No final da década de 60, foi publicada a lei de proteção a fauna e esse pessoal precisou se legalizar e começar a fundar as primeiras associações de criadores, que hoje estão pulverizadas em todo território nacional.

Chestnut-bellied Seed-finch

Dos pássaros brasileiros originalmente silvestres, hoje criados em ambiente doméstico, destacamos o Curió (Oryzoborus angolensis) como precursor da criação (há mais de 50 anos) e participação de competições de canto, seguido pelo Bicudo (Oryzoborus maximiliani) e posteriormente na década de 90 o Canário da Terra (Sicalis flaveola brasiliensis), o Coleirinha (Sporophila caerulescens) e o Trinca Ferro (Saltator similis). Essas são as 5 espécies mais apreciadas pelos competidores no Brasil e algumas outras espécies com destaque apenas regional, como o Azulão (C. brissonii), Tico tico (Z. capensis), Pixoxó (S. frontalis) e o Cardeal (Paroaria coronata) no Sul.

As competições ocorrem aos domingos com início ás 8 horas da manhã, porém a agitação já é percebida no sábado, onde os competidores se confraternizam nos saguões dos hotéis e nas recepções feitas pela entidade promotora. Os pássaros são inscritos durante a semana nos sites das federações e associações divididos por modalidades de canto ou fibra.

São necessários para a inscrição, as guias de transporte emitidas pelo site do Ibama, acompanhados por laudo veterinário e GTA (Guia de Transporte Animal) gerado pela secretaria de Agricultura.

Na categoria fibra, as aves são dispotas em estacas apropriadas, sorteadas pelo site no ato da inscrição, onde as gaiolas ficam distantes 20 cm uma das outras, formando uma roda. Os pássaros desta modalidade defendem o território pelo canto e passam por 3 etapas, sendo a primeira ás 9 horas da manhã que é eliminatória, outras ás 10 horas, que é classificatória, e a última após as 11 horas, que é a grande final, onde os pássaros são marcados por tempo no caso do Bicudo e Curió e por ponto (cada canto 1 ponto) nas demais categorias.

curió praia clássico

Na categoria canto clássico (com várias subcategorias do Curió Praia Clássico), as aves não se enfrentam, não se veem e são colocadas na estaca. Quando chamadas pela mesa julgadora, elas têm 5 minutos para cantar, onde serão analisados alguns quesitos como uma escola de samba: voz, andamento, colocação de notas, melodia e apresentação. As deduções são para notas estranhas, rasgadas na divisão do canto, vícios e retorno de canto.

O canto mais apreciado no Estado de São Paulo na linha Curió é o canto Curió Praia Clássico, originário da região de mesmo nome, litoral paulista, com destaque ao Curió Ana Dias, capturado na década de 50, que passou por diversos proprietários que foram aprimorando seu canto, até que em 1964 Water Moretti o adquiriu, transacionou com outros aficionados e o comprou de volta no final da vida, onde morreu aos 34 anos na cidade de Jundiaí nos idos dos anos 80, estando hoje empalhado numa redoma de vidro na Febraps, em Piracicaba. Diz se que em uma das transações deste maravilhoso Curió Praia Clássico, as cifras dariam para comprar um sítio de 30 alqueires…

curio2

Muitos outros pássaros se destacaram, alguns trocados com apartamentos. Os valores seus proprietários não gostam de divulgar, como o caso do nosso querido Roberto Rivelino que adquiriu o Curió “Cyborg” com cifras superiores a 100 mil dólares ou o Bicudo fibra “Jequitibá” com valor de 200 mil dólares, comprado por um consórcio de 3 criadores desta modalidade.

Os torneios atraem muitos adeptos de todas as regiões do país e movimentam uma economia direta e indireta fortíssima, onde são comercializados rações, sementes, utensílios, remédios, vitaminas, preventivos e uma infinidade de apetrechos para o bem estar dos pássaros. Famílias inteiras se beneficiam na confecção de capas, ninhos, na fabricação de gaiolas, algumas artesanais que alcançam valores superiores a mil reais, sem contar no combate ao tráfico dessas espécies, uma vez que uma ave nascida em ambiente doméstico já pode participar dos torneios a partir dos 6 meses de idade e, em contrapartida, as aves retiradas da Natureza não servem para as competições, pois não têm o dialeto nem as qualidades desejadas pelos aficionados.

Esse mercado ainda é pouco explorado e tem potencial para crescer muito, inclusive a Medicina Veterinária tem avançado neste quesito, se especializando em aves de companhia, coisa que era rara no passado. As lojas pet estão se adaptando para essa realidade e laboratórios de genotipagem e sexagem por DNA são comuns no meio.

Infelizmente os criadores amadores de pássaros em ambientes domésticos vêm passando por dificuldades absurdas há anos, sem incentivo algum dos órgãos competentes e com normativas incoerentes, exigências desnecessárias como a emissão de GTA em todas as etapas da competição anual, encarecendo e desestimulando uma prática tão benéfica para a conservação de espécies que já estariam em vias de extinção como o Bicudo (Oryzoborus maximiliano), já extinto em diversos Estados Brasileiros.

Aos criadores cabe amar, respeitar e procriar essas espécies que tanto trazem alegria á vida estressante do século XXI.

 

Rancho das Aves – Criação de Aves Ornamentais

http://www.ranchodasaves.com.br

 

Deixe seu comentário, dúvida ou sugestão

Campos obrigatórios são marcados com *